Simpósio Desafios da “Inconsciência Negra” no Brasil do Século XXI promove debate para reflexão da sociedade

Recomendações para acesso aos inquéritos policiais digitais favorecem a advocacia e preservam os investigados
06/11/2019
Carta de Atibaia 2019 – Colégio de Presidentes de Subseções
11/11/2019

Com a presença de profissionais da advocacia e pessoas da comunidade engajadas no movimento negro  foi realizado na sexta-feira  (8/11), na Casa da Advocacia, o Simpósio Desafios da “Inconsciência Negra” no Brasil do Século XXI.  O presidente da Subseção Daniel Blikstein, a vice-presidente, Luciana Freitas, e o secretário Geral, Paulo Braga, participaram da abertura do evento, juntamente com autoridades convidadas, entre elas os procuradores do MPT-Campinas,  Danielle Olivares Correa Masseran e Fábio Messias Vieira; e a secretária Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, Eliane Jocelaine Pereira.

A mesa de abertura também teve a participação de representantes das comissões organizadoras do evento; o advogado Ademir José da Silva – presidente das Comissões da Verdade sobre a Escravidão Negra no Brasil da OAB Campinas e de Direito e Liberdade Religiosa; Ana Vanessa da Silva – presidente da Comissão da Igualdade Racial; Paulo Braga – presidente da Comissão de Direitos Humanos e secretário Geral da Subseção; e Fábia Bigarani – presidente da Comissão da Mulher Advogada.

O presidente da Subseção, Daniel Blikstein, fez a abertura do simpósio e destacou o trabalhou da atual diretoria de trazer para a Casa da Advocacia todo o tipo de debate de interesse da sociedade. “Tem sido uma marca da nossa gestão não deixar de colocar os assuntos importantes em pauta, trazer para a nossa Subseção discussões de todos os relevantes temais jurídicos e de cidadania, inclusive a intolerância racial”, afirmou.

A vice-presidente, Luciana Freitas e o secretário Geral Paulo Braga, deram as boas-vindas aos presentes e  endossaram  as palavras do presidente. “ Mais uma vez esse espaço, da Casa da Advocacia,  estará sempre aberto para a discussão de todos os assuntos”.

Em nome do MPT, a procuradora e  coordenadora regional da Coordenadoria Nacional de Promoção de Igualdades de Oportunidades e Eliminação da Discriminação no Trabalho, Danielle Olivares Correa, destacou a necessidade de discutir as causas das desigualdades existentes no país. “ Sabemos pelos dados do IBGE que mais da metade da população é negra e, mesmo assim, todos estão alijados de saúde, educação e de bons empregos. Isso tem que acabar e para isso, é só realmente com discussões, ações afirmativas com políticas públicas voltadas para a inserção no mercado de trabalho, na educação, com melhor nível de saúde das pessoas para que a sociedade possa  se modificar e alcançar essa igualdade tão  almejada”, disse

A secretária municipal, Eliane Jocelaine, parabenizou o presidente da Subseção em especial pela  criação, em sua  gestão, das Comissões de Direito e Liberdade Religiosa e da Igualdade Racial. “As duas comissões são importantíssimas no âmbito de uma instituição que tem o papel de defesa dos direitos humanos”. 

O advogado Ademir José da Silva, também agradeceu o apoio da diretoria. “ Esse trabalho é o resultado desse conjunto de comissões,  de um esforço conjunto, e do apoio incondicional da diretoria . Tomarmos consciência dessa inconsciência que vige em nosso país, dos que afetam e dos afetados, é neste sentido que trazemos esse simpósio”.

No encerramento da sessão de abertura, também foi convidado a compor a mesa o membro colaborador da Comissão da Verdade sobre a Escravidão Negra no Brasil, José Flávio Carvalho dos Santos, também funcionário da Subseção, que reforçou a importância de colocar a questão da discriminação e do preconceito, seja racial, religioso ou de outra natureza. “Quem trabalha com essa questão do preconceito e da discriminação vê isso diariamente. Ainda é um questão muito presente na nossa sociedade e tem  que ser debatida cada vez mais, dizer não racismo e ao preconceito seja qual for é o nosso papel, é o nosso dever”.

A professora da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp, Silvia Maria Santiago, abriu o simpósio com o tema “Saúde da População Negra”, seguido pelo Diretor Executivo da Comissão da Igualdade Racial da OAB SP, o advogado Sinvaldo José Firmo, que falou sobre as Regiões Afro-brasileiras dentro do contexto dos Direitos Humanos. Ao longo do dia, o público presente acompanhou os temas das palestras, com debates e interação com os expositores. A atuação da Comissão da Verdade na OAB Nacional, foi assunto abordado pelo presidente da Comissão da Verdade Sobre a Escravidão negra no Brasil, Humberto Adami; o ativista do Movimento Negro, Benedito Luiz Amauro (Mestre Lumumba) falou sobre e a história do  movimento negro no Brasil na década de 70 e, encerrando o simpósio, a advogada Alessandra Benedito  discorreu sobre o racismo estrutural e seus impactos na vida das mulheres negras.