Comissão da Verdade Sobre a Escravidão Negra no Brasil e Câmara Municipal firmam convênio

Ductor promove curso sobre Recursos na Justiça do Trabalho
14/05/2018
OAB SP está com inscrições abertas para o Concurso de Fotografia
16/05/2018

A Comissão da Verdade Sobre a Escravidão Negra no Brasil terá acesso a um importante acervo de documentos históricos sobre a escravidão. Em convênio assinado na última segunda-feira (14/05) entre a Comissão da Subseção e a Câmara Municipal dará acesso irrestrito à toda documentação existente no Legislativo, pertinente ao período. A assinatura do convênio teve a presença do presidente da Câmara, Rafa Zimbaldi; do presidente da OAB Campinas, Daniel Blikstein; do secretário Geral-Adjunto da Subseção, Cláudio Vieira;  presidente da Comissão da Verdade Sobre a Escravidão Negra no Brasil, Ademir José da Silva;  dos vereador Carlão do PT, Professor Alberto  e Mariana Conti que fazem parte da Comissão de Direitos Humanos do Legislativo; e do advogado Tagino Alves Santos, presidente do Conselho da Participação e Desenvolvimento Negro em Campinas.

Na assinatura do termo, o presidente da OAB reafirmou a importância do trabalho da Comissão para regate histórico, na busca da verdade e reparação da sociedade. “A assinatura desse documento marca mais um passo nos trabalhos que temos feito na Comissão, na OAB, na descoberta de documentos e informações da escravidão negra no Brasil.  Essa iniciativa de toda a Comissão, e agora junto à Câmara, é no sentido de estudar, reviver, buscar os verdadeiros fatos históricos para que a gente possa trabalhar cada vez mais pela inclusão, pela educação, e para que as pessoas não repitam no futuro o que foi feito de errado no passado.”

O vereador Rafa Zimbaldi, presidente do Legislativo, destacou a importância do termo firmado. “Temos várias informações a fornecer, o acervo do legislativo é um dos mais ricos do município, repleto de documentos históricos que podem ter grande relevância sobre este triste capítulo de nossa cidade. É muito importante esta iniciativa pois a verdade deve prevalecer sempre, até para que erros do passado nunca mais se repitam”, pontuou.

O advogado Cláudio Vieira, diretor da OAB Campinas, parabenizou a iniciativa  “Nós estamos vendo pessoas empenhadas em corrigir os erros do passado e isso só será possível através de atos como esse, da união, para eu tenhamos uma sociedade menos desigual”.

O presidente da Comissão da Verdade Sobre a Escravidão Negra no Brasil , lembrou que a população brasileira é formada por mais de 50% de pessoas descendentes dos negros. “Os descendentes foram trazidos e hoje compõe 53% da população brasileira. Temos os direitos e os deveres, consagrados desde a Constituição de 1824, e em todas as constituições, de que somos iguais perante a alei, só que essa igualdade não se materializou. Esse é um momento ímpar na história do negro no Brasil, na história a ser contada”, afirmou o advogado Ademir José da Silva.

O vereador Carlão do PT, presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, também reforçou a importância do resgate histórico “ Nós precisamos contar esta história de forma decente e verdadeira para a população de campinas e do Brasil”. O advogado Tagino Alves Santos que também integra a Comissão da Subseção ressaltou que “a  comunidade precisa dessa história, do acesso aos documentos da Câmara Municipal. Nós temos agora que buscar efetivamente os nossos direitos”.